Seguidores

quarta-feira, 29 de fevereiro de 2012

Fascite Plantar



Muito boa esta matéria da Revista Runner World Brasil e resolvi postar . 
Já tive este problema é muito inconveniente.



Arqui-inimigo

Todos os segredos pora combater a fascite plantar

Ilustração: Bryan Christie
A fascite plantar é uma lesão que provoca dor no arco do pé e também frustração. A recuperação é lenta e o índice de recorrência é alto. As causas mais comuns são o esforço repetitivo e o excesso de pronação, que provocam micro rupturas e inflamação na fáscia plantar (tecido que recobre a planta do pé). Para lidar com isso, o corpo coloca um aglomerado de fibras sobre a área lesionada. E como essa nova camada não tem tanta elasticidade quanto o tecido sadio, a fáscia fica vulnerável a outras lesões. Se você sente dor no calcanhar há mais de três meses, já experimentou outros tratamentos sem sucesso e está disposto a pagar, literalmente, para ter alívio, fale com seu médico sobre os procedimentos inovadores apresentados a seguir.
Bom e barato
Dor no arco do pé? Experimente algumas receitas caseiras

- Role uma garrafa d'água congelada embaixo do arco do pé


- Alongue o arco do pé antes de se levantar da cama


- Alongue a panturrilha antes e depois das corridas


- Diminua o volume de treino e faça cross-training


- Faça massagem rolando uma bolinha de golfe embaixo do arco plantar


Terapia por ondas de choque
Método: As ondas concentradas estimulam a produção de colágeno, contribuindo para a cura da área lesionada. O tratamento com alta energia dá resultados em uma aplicação, mas é doloroso e requer sedação. Na opção com baixa energia, a pessoa fica acordada, mas são necessárias várias sessões.

Resultado: Pesquisas indicam índices de cura de cerca de 80% em pacientes que não responderam a outras terapias. "Após a primeira sessão, você terá a sensação de que a área lesionada foi alongada. Depois de mais duas, você vai perceber uma melhora dramática", afirma Clint Verran, maratonista e fisioterapeuta americano que usa a terapia de baixa energia.

Custo: Cerca de 500 a 800 reais por sessão.
Plasma enriquecido de plaquetas
Método: O sangue colhido do paciente é centrifugado e obtém-se um concentrado de plaquetas que, em seguida, é novamente injetado na área lesionada. As plaquetas contêm fatores de crescimento que estimulam a regeneração do tecido.

Resultado: Pesquisas recentes sobre fascite plantar são promissoras. Stephen Pribut, podiatra (especialista em pé) em Washington, Estados Unidos, afirma que este poderá ser o tratamento do futuro na medicina esportiva, mas ele ainda está sendo estudado como indicação para o tratamento da fascite.

Custo: Cerca de 1000 a 3000 reais.
Botox
Método: A toxina botulínica é injetada na fáscia plantar para provocar a paralisia do nervo e reduzir a dor e a inflamação.

Resultado: Estudos indicam que pessoas que sofriam de fascite plantar relataram redução significativa da dor após o tratamento. Porém, segundo Stephen, são necessárias pesquisas para avaliar os efeitos da terapia no longo prazo. Além disso, o botox pode bloquear a dor, mas não cura a lesão.

Custo: Cerca de 800 a 1200 reais por sessão.
Agulhamento seco
Método: Usa-se uma agulha para fazer punções na fáscia plantar, no pé que apresenta dormência. Com isso, provoca-se um pequeno sangramento, fazendo com que as células sanguíneas sejam recrutadas para curar o tecido. Alguns médicos também aplicam injeção de corticóides.

Resultado: Um estudo da Universidade de Gênova (Itália), publicado em dezembro de 2008, relatou índice de cura de 95% com o uso combinado de agulhamento seco e corticóides. No entanto, essa combinação pode não ser necessária. "Eu uso apenas a técnica do agulhamento seco e a eficácia é de aproximadamente 90%", afirma o radiologista Levon Nazarian, da Thomas Jefferson University, em Philadelphia, EUA.

Custo: Varia bastante, de 500 a 1500 reais, pois é um procedimento realizado somente em consultório, com anestesia local.
Émbaixo do pé
A fascia plantar se estende do calcanhar até os dedos do pé
Colaboração: Rogério Teixeira da Silva, doutor em ortopedia e medicina esportiva pela Unifesp



Fonte: Revista Runner's World Brasil
http://runnersworld.abril.com.br/materias/inimigo/

2 comentários:

  1. A técnica da garrafinha é muito boa, já fiz. E do gelo e água quente também (choque térmico);
    Abraços

    ResponderExcluir
  2. Dart, realmente esta técnica são muito úteis no tratamento e até prevenção da Fascíte Plantar. somente que teve sabe como é chata esta lesão.

    ResponderExcluir

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...