Seguidores

quarta-feira, 29 de fevereiro de 2012

Fascite Plantar



Muito boa esta matéria da Revista Runner World Brasil e resolvi postar . 
Já tive este problema é muito inconveniente.



Arqui-inimigo

Todos os segredos pora combater a fascite plantar

Ilustração: Bryan Christie
A fascite plantar é uma lesão que provoca dor no arco do pé e também frustração. A recuperação é lenta e o índice de recorrência é alto. As causas mais comuns são o esforço repetitivo e o excesso de pronação, que provocam micro rupturas e inflamação na fáscia plantar (tecido que recobre a planta do pé). Para lidar com isso, o corpo coloca um aglomerado de fibras sobre a área lesionada. E como essa nova camada não tem tanta elasticidade quanto o tecido sadio, a fáscia fica vulnerável a outras lesões. Se você sente dor no calcanhar há mais de três meses, já experimentou outros tratamentos sem sucesso e está disposto a pagar, literalmente, para ter alívio, fale com seu médico sobre os procedimentos inovadores apresentados a seguir.
Bom e barato
Dor no arco do pé? Experimente algumas receitas caseiras

- Role uma garrafa d'água congelada embaixo do arco do pé


- Alongue o arco do pé antes de se levantar da cama


- Alongue a panturrilha antes e depois das corridas


- Diminua o volume de treino e faça cross-training


- Faça massagem rolando uma bolinha de golfe embaixo do arco plantar


Terapia por ondas de choque
Método: As ondas concentradas estimulam a produção de colágeno, contribuindo para a cura da área lesionada. O tratamento com alta energia dá resultados em uma aplicação, mas é doloroso e requer sedação. Na opção com baixa energia, a pessoa fica acordada, mas são necessárias várias sessões.

Resultado: Pesquisas indicam índices de cura de cerca de 80% em pacientes que não responderam a outras terapias. "Após a primeira sessão, você terá a sensação de que a área lesionada foi alongada. Depois de mais duas, você vai perceber uma melhora dramática", afirma Clint Verran, maratonista e fisioterapeuta americano que usa a terapia de baixa energia.

Custo: Cerca de 500 a 800 reais por sessão.
Plasma enriquecido de plaquetas
Método: O sangue colhido do paciente é centrifugado e obtém-se um concentrado de plaquetas que, em seguida, é novamente injetado na área lesionada. As plaquetas contêm fatores de crescimento que estimulam a regeneração do tecido.

Resultado: Pesquisas recentes sobre fascite plantar são promissoras. Stephen Pribut, podiatra (especialista em pé) em Washington, Estados Unidos, afirma que este poderá ser o tratamento do futuro na medicina esportiva, mas ele ainda está sendo estudado como indicação para o tratamento da fascite.

Custo: Cerca de 1000 a 3000 reais.
Botox
Método: A toxina botulínica é injetada na fáscia plantar para provocar a paralisia do nervo e reduzir a dor e a inflamação.

Resultado: Estudos indicam que pessoas que sofriam de fascite plantar relataram redução significativa da dor após o tratamento. Porém, segundo Stephen, são necessárias pesquisas para avaliar os efeitos da terapia no longo prazo. Além disso, o botox pode bloquear a dor, mas não cura a lesão.

Custo: Cerca de 800 a 1200 reais por sessão.
Agulhamento seco
Método: Usa-se uma agulha para fazer punções na fáscia plantar, no pé que apresenta dormência. Com isso, provoca-se um pequeno sangramento, fazendo com que as células sanguíneas sejam recrutadas para curar o tecido. Alguns médicos também aplicam injeção de corticóides.

Resultado: Um estudo da Universidade de Gênova (Itália), publicado em dezembro de 2008, relatou índice de cura de 95% com o uso combinado de agulhamento seco e corticóides. No entanto, essa combinação pode não ser necessária. "Eu uso apenas a técnica do agulhamento seco e a eficácia é de aproximadamente 90%", afirma o radiologista Levon Nazarian, da Thomas Jefferson University, em Philadelphia, EUA.

Custo: Varia bastante, de 500 a 1500 reais, pois é um procedimento realizado somente em consultório, com anestesia local.
Émbaixo do pé
A fascia plantar se estende do calcanhar até os dedos do pé
Colaboração: Rogério Teixeira da Silva, doutor em ortopedia e medicina esportiva pela Unifesp



Fonte: Revista Runner's World Brasil
http://runnersworld.abril.com.br/materias/inimigo/

domingo, 12 de fevereiro de 2012

Avalie o seu desempenho



Faça o Teste de Cooper e avalie o seu desempenho

Teste de Cooper é um teste de preparo físico idealizado pelo médico e preparador físico norte-americano Kenneth H. Cooper. O teste consiste numa corrida em velocidade constante que varia de acordo com a idade, sexo e seu desempenho (profissional ou amador). Este método é adequado para atletas pois exige 100% da velocidade (carga). Para um atleta masculino profissional exige-se um desempenho de 3200 metros em 12 minutos para sua boa forma.
O teste de Cooper de 12 minutos é um dos testes mais populares de avaliação da capacidade cardiorrespiratória.
Objetivo: Avaliar a aptidão aeróbica.
Equipamentos necessários: Pista de corrida oval e plana ou pista de atletismo, cones para marcação, folha para anotação de dados, cronômetro.
Procedimentos: O avaliado deverá correr ou andar sem interrupções durante 12 minutos, sendo registrada a distância total percorrida durante este tempo. Recomenda-se marcar as distâncias em intervalos definicos com cones ao redor da pista para facilitar a vizualização e a medição da distância percorrida pelo avaliado.
Dicas para realizar o “Teste de Cooper”:

Recomenda-se também, que no dia do teste, se faça um ligeiro aquecimento, que poderá constar, de cerca de 15 minutos em corrida lenta e exercícios de descontração.
     Use um calçado adequado para corrida.
     O percurso para fazer o teste deve ser plano.
   Ao finalizar o teste não pare abruptamente, nem sente de imediato. Caminhe por alguns minutos, até normalizar completamente o fluxo respiratório.
Como refere o drº cooper, este   teste, não deve ser efectuado por pessoas que não o possam cumprir, e aconselha pelo menos duas semanas de treino, pois ele vai exigir o esforço máximo.




Tabela com os índices recomendados:

Teste de Cooper
IdadeÓtimoBomRegularRuimPéssimo
13-14M2100+ m1700 - 2099m1600- 1699 m1500 - 1599 m1500- m
F2000+ m1900 - 2000 m1600 - 1899 m1500 - 1599 m1500- m
15-16M2800+ m2500 - 2800 m2300 - 2499 m2200 - 2299 m2200- m
F2100+ m2000 - 2100 m1700 - 1999 m1600 - 1699 m1600- m
17-20M3000+ m2700 - 3000 m2500 - 2699 m2300 - 2499 m2300- m
F2300+ m2100 - 2300 m1800 - 2099 m1700 - 1799 m1700- m
20-29M2800+ m2400 - 2800 m2200 - 2399 m1600 - 2199 m1600- m
F2700+ m2200 - 2700 m1800 - 2199 m1500 - 1799 m1500- m
30-39M2700+ m2300 - 2700 m1900 - 2299 m1500 - 1899 m1500- m
F2500+ m2000 - 2500 m1700 - 1999 m1400 - 1699 m1400- m
40-49M2500+ m2100 - 2500 m1700 - 2099 m1400 - 1699 m1400- m
F2300+ m1900 - 2300 m1500 - 1899 m1200 - 1499 m1200- m
50+M2400+ m2000 - 2400 m1600 - 1999 m1300 - 1599 m1300- m
F2200+ m1700 - 2200 m1400 - 1699 m1100 - 1399 m1100- m
Teste de Cooper(Experiência com atletas)
ÓtimoBomRegularRuimPéssimo
Homem3700+ m3400 - 3700 m3100 - 3399 m2800 - 3099 m2800- m
Mulher3000+ m2700 - 3000 m2400 - 2699 m2100 - 2399 m2100- m



Análise dos resultados:
Após finalizar o teste, compare a distância percorrida com as tabelas abaixo. Como avaliação, Cooper estabeleceu cinco categorias: péssimo, ruim, regular, boa e ótimo. Ex.: se em 12 minutos uma mulher com menos de 40 anos percorre 2.000 metros está classificado na categoria “boa".




Fontes:
 Wikipédia, a enciclopédia livre.
site:http://avaliacaofisica.org/

quinta-feira, 9 de fevereiro de 2012

Largada em ondas

Foto do Site da Corpore
Largada em ondas, em curva, faixa, por cor e zigue -zague. Os organizadores parecem que perceberão que um dos grandes problemas da corrida de rua é na hora da largada. 
As corrida de rua estão atraindo a cada dia um grande número de participantes e as rua estão ficando curtas para suportar um grande número de pessoas ao mesmo tempo na Largada, resultado disto, um aglomerado de pessoas se esbarrando, tropeçando e até mesmo correndo o risco de cair e se lesionar.

Então como resolver este gargalo das corridas de rua ?

A Corpore pretende fazer uma experiência na Corrida de Abertura do Circuito Corpore com a Largada em Ondas.

Como vai funcionar:

Serão 3 ondas (3 largadas).

1ª Largada Geral acontecera às 8hs, para Elite B/C. (5,2Km e 11Km)

2ª Largada Geral  terá deslocamento às 8:05hs  (5,2Km e 11Km)

3ª Largada Geral  terá deslocamento às 8:10hs  (5,2Km e 11Km)

Deficientes Visuais - Largam às 7:55hs

Com isto todos os atletas vão larga de acordo com o seu ritmo de corrida.

O método é parecido com o utilizado na Maratona de Nova Iorque, que tinha problema com a largada também, devido ao grande número de participantes. Então os organizadores resolverão dividir a largada por ondas. A largada é dividida em três partes, por exemplo, tem 9000 corredores, divide em três largada com 3000 corredores cada partes ou ondas. Primeiro larga uma onda, depois de um tempo determinado a segunda e depois de um tempo determinado a terceira e assim sucessivamente. Quem determinar quantas ondas são necessárias e intervalo de tempo é o organizador.

Foto do Site da Corpore
Parece uma medida boa, mas precisa da colaboração e bom senso das pessoas, muitos corredores não consegue correr em um ritmo rápido, mas insiste em desobedecer em larga na frente e não consegue acompanhar o ritmo dos corredores mais rápido e logo começam a anda, atrapalhando que vem correndo de trás em um ritmo rápido.
Outro ponto importante é que se os amigos querem correr juntos, o mais rápido corre junto com o mais lento nas ondas de trás e não o inverso, corredor mais lento largando entre os mais rápidos.
Acredito que estas medidas possam melhorar o fluxo de corredores nas ruas, mas outras idéias são sempre bem vindas.
Um das idéias que defendo é traçar uma divisão imaginária da rua entre direita e esquerda, deixando o lado esquerdo para os mais rápidos ou ultrapassagem e o lado direito par aos corredores mais lentos, que queiram andar ou caminhar ou até mesmo descansar um pouco. Da mesma forma que acontece com os carros, mais lentos na direito e mais rápidos na esquerda.


Maiores informações sobre a corrida a largada em ondas acesse aqui.
Amigos e colegas corredores o que acham da largada em ondas?

domingo, 5 de fevereiro de 2012

Competidor morre após cruzar linha de chegada em meia maratona


Um maratonista de 26 anos morreu ao cruzar a linha de chegada da meia maratona de Hong Kong, neste domingo. O atleta, que teve o nome omitido pelas autoridades, chegou a ser levado ao hospital, mas não resistiu.
Identificado apenas pelo sobrenome Lau, o maratonista caiu no chão ao cruzar a linha de chegada dos 21 km da prova. Outros competidores prestaram socorro antes do atleta ser levado para o hospital.

A morte foi contatada no hospital. O corredor sofreu um colapso durante a meia maratona de Hong Kong  Foto: AFP
Foto : AFP
A morte foi contatada no hospital. O corredor sofreu um colapso durante a meia maratona de Hong Kong.
O evento em Hong Kong reuniu cerca de 70 mil participantes, número recorde, com a realização de três provas: A corrida de 10 km, a meia maratona e a maratona, com 42 km.
A maratona foi vencida pelo etíope Dereje Abera, em disputa muito apertada com o queniano Eliud Cheptei. Os dois completaram a prova em 2h11min27s, com ligeira vantagem para o etíope. 
Apenas 1s depois chegaram os quenianos Cosmas Kyeva e Julius Maisei, que também tiveram 1s de frente sobre o compatriota George Ngetich.
Na prova feminina, a vitória foi da etíope Misiker Demissie, que quebrou o recorde do percurso com o tempo de 2h30min12s e teve vantagem confortável sobre sua compatriota Shitaye Gemechu.


Também esteve presente o "maratonista mais velho do mundo". O britânico de origem indiana Fauja Singh, de 100 anos, terminou a prova de 10 km em apenas 1h34m. Porém, o feito não será oficializado pelo Livro dos Recordes, já que ele não tem um documento que comprove sua idade
.
Com informações da Gazeta Esportiva

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...